Para onde vai o dinheiro pago no pedágio? Entenda

Quem viaja ou transita de carro em estradas e rodovias já deve ter passado por um pedágio. Para cruzar a entrada daquela via em especial é necessário pagar uma pequena taxa. O pedágio pode variar em valores e chegar a mais de R$ 10 em alguns casos. Mas para onde vai esse dinheiro? Saiba mais!

O que é um pedágio?

Quem paga o IPVA 2018 fica pensando sempre: por que pagar para andar em uma via pública quando na verdade você já paga o IPVA 2018 SP, por exemplo? O pensamento não está errado mas a taxa deve ser paga para andar naquele trecho em especial.

O pedágio é uma taxa a ser paga para ter direito a usar uma via particular. Contudo, é comum encontrar vias no Brasil as quais havia a passagem livre e começaram a ser pagas. Isso acontece porque anteriormente esta via era totalmente pública mas foi cedida a uma empresa para cuidar de sua administração.

A administração de uma via pode ser pública ou particular. O dinheiro pago no IPVA é para a construção de vias públicas e este tributo é sua principal fonte de arrecadação para manutenção das vias. Contudo, nem sempre o Estado consegue dar conta pela extensão territorial e começa a fazer licitações para ceder as vias para empresas as quais querem tomar conta.

Sendo assim, podemos cruzar com uma via a qual antes era totalmente pública e não era necessário pagar e agora existe um portal para passagem onde se pode cruzar apenas por pagamento. O valor costuma variar de acordo com o porte do veículo: se passeio, de transporte de carga e passageiros, dentre outros. Deve ser especificado no início da via.

Como funciona um pedágio?

Sempre que se está chegando a uma via com pedágio deve haver sinalização. Com antecedência há a indicação de que em um determinado trecho haverá a cobrança para pagamento. Um funcionário é responsável por receber o dinheiro e permitir o acesso. Em outros países isso já funciona eletronicamente.

Costumeiramente é indicado ter duas vias, uma paga e outra não, mas nem sempre há esses dois caminhos. Nos estados de São Paulo e Minas Gerais, por exemplo, em muitos trajetos estão disponíveis apenas vias com pedágio, obrigando o contribuinte a pagar.

Para onde vai o dinheiro do pedágio?

Como uma empresa privada toma conta de uma via com pedágio, ela possui a obrigação de deixar as suas condições impecáveis e isso leva custos. Logo, o pagamento do pedágio é a forma como ela recebe de volta o valor gasto na manutenção constante da via.

O dinheiro pago no pedágio vai para a empresa que toma conta da via. Ele serve para a deixar em perfeitas condições de dirigir. Em comparação com as vias públicas controladas e mantidas pelo Governo, podemos notar uma enorme diferença de conservação e manutenção.

Algumas vias com pedágio possuem até reboque para carros acidentados e telefone para contato com central de suporte. É realmente um serviço diferenciado. O motorista paga a mais por isso mas de fato possui retorno do valor investido.

Como ter isenção na taxa de inscrição do ENEM?

O Exame Nacional de Ensino Médio, muito conhecido apenas por sua sigla Enem, é anual. O processo de inscrição atualmente é feito online e com pagamento de taxa. Mas alguns alunos possuem isenção na taxa de inscrição do Enem. Saiba mais!

Como funciona e para que serve o Enem?

Quem possui mais de 30 anos deve ter feito o Enem apenas como opcional. O exame era uma forma de medir a qualidade do ensino do Brasil mas não era obrigatório. Passou a ajudar na nota da primeira fase do vestibular em meados de 2003 e só nos últimos cinco anos ganhou uma grande importância.

Hoje o exame elaborado e aplicado pelo Ministério da Educação serve tanto para medir a qualidade de ensino como vestibular para muitas instituições do Brasil. As universidades federais adotaram em peso a prova como sua primeira fase com enorme sucesso e as privadas possuem os dois processo seletivos.

Os programas governamentais também usam o exame, por isso o Enem é de suma importância para quem quer ter benefícios na educação. A nota do Enem é válida e obrigatória para:

  • o Fies;
  • o ProUni (bolsas de estud0).

Quem tem direito a isenção do Enem?

O pagamento do Enem é uma taxa única a ser paga em qualquer banco até o limite da data inscrição. O cadastro é feito por meio do site oficial do exame.

Alguns interessados em fazer a prova podem não pagar a taxa. São os isentos por direito, que são eles:

  • Concluinte do ensino médio 2017 concluinte em escola pública;
  • Estudantes com renda familiar de até um salário mínimo que tenham cursado todo o ensino médio em escola pública;
  • Estudante que tenha uma renda familiar de até um salário e tenha sido bolsista no ensino médio;
  • Família de até três salários que esteja no Cadastro Único.

Se o candidato ao Enem não estiver em nenhuma das categorias descritas acima a isenção não é aceita e deve-se pagar o boleto normalmente. Caso o boleto tenha vencido então é necessário voltar ao site e solicitar um segundo documento, desde que o prazo de inscrição já não esteja encerrado.

Como solicitar isenção na taxa de inscrição do Enem

Quem possui direito a inscrição possui apenas algumas modificações para se cadastrar no Enem. O primeiro passo é fazer o seu cadastro no site oficial do exame. É necessário informar todos os dados pessoais e enviar para a organizadora.

No momento de solicitar o pagamento é só clicar em “isenção de taxa” e preencher o formulário na tela com as informações. Todos os dados serão analisados por CPF pelo sistema e se a isenção for aceita, será informada no site.

O prazo dos isentos é diferenciado. A inscrição fica pendente e caso seja aceito o pedido de isenção ele vai para o site como pago. Caso não, é avisado por e-mail ou no próprio site no cadastro pessoal e o boleto fica disponível para pagamento.

FONTE

 

Como funciona o vale gás? Como receber?

Dos diversos programas de auxílio às famílias de baixa renda temos na lista o Vale Gás. Voltados a quem não pode suprir com suas necessidades básicas mensais, o benefício é pago a quem realmente precisa e é simples de conseguir quando se tem direito. Saiba mais!

O que é e como funciona o Vale Gás?

Criado em 2001, o Vale Gás é um benefício do Governo Federal concedido a famílias de baixa renda e que segue o calendário do bolsa família. Ao contrário do que alguns podem pensar a criação deste programa não é do Governo do presidente Lula e sim de Fernando Henrique Cardoso, herdado para os governos posteriores.

O programa é administrado pelo Ministério de Minas e Energia e está em funcionamento até hoje. O benefício é no valor de R$ 50 pago a cada dois meses para ajudar a comprar um botijão de gás. A proposta é auxiliar famílias a terem uma alimentação digna quando realmente precisam.

O Vale Gás é um dos benefícios mais antigos em atividade e por enquanto não está na lista dos projetos a serem cortados por redução de custo governamental. Estima-se um auxílio a mais de 10 milhões de famílias no Brasil que antes deslocavam verba de outras ajudas financeiras para conseguir realizar o preparo dos alimentos.

Quem possui direito ao Vale Gás?

Todos os beneficiados com bolsas assistenciais do Governo Federal possuem direito a receber o Vale Gás. Podem receber então:

  • Quem possui cadastro social como baixa renda;
  • Beneficiários do Bolsa Família em suas diversas categorias;
  • Beneficiários do Bolsa Escola.

O pagamento é por família e não por membro. Se mais de uma pessoa em uma mesma residência receber o Bolsa Família, apenas um pode se cadastrar para receber o Vale Gás.

A comprovação por documentação é crucial para receber o valor correspondente ao Vale Gás. Caso um brasileiro se cadastre e tenha renda, poderá ser multado a devolver o valor com juros e ser condenado por utilizar documentos falsos se usar de tais meios. Todos os cadastros são revisados periodicamente pelo sistema do programa.

Como receber o Vale Gás

Como é preciso fazer parte de algum programa social para ter direito a este benefício, é preciso ter cadastro em um dos programas sociais federais. Para isso basta procurar a sede da prefeitura mais próxima munido de documentos pessoais básicos. São eles:

  • Identidade e CPF – habilitação também serve e substitui os dois;
  • Comprovante de residência;
  • Carteira de trabalho comprovando o estado de desempregado.

O cadastro é feito em nome da pessoa a qual procurou se cadastrar. O benefício é válido por dois anos e depois é feita uma renovação para saber se ainda há a necessidade de receber o pagamento.

O pagamento é realizado junto com o Bolsa Família nas agências da Caixa Econômica Federal. Para retirar o dinheiro é preciso ter o cartão do programa, emitido gratuitamente alguns dias após o cadastro. Não é necessário pagar pela via e em caso de perda pode-se tirar uma segunda via.

6 Benefícios do alongamento para o corpo

Alongamento muscular, conhecido apenas por alongamento, é um dos rituais pré treinos mais queridos. Todo bom atleta (ao menos os disciplinados) sabe a importância e os benefícios de um bom alongamento. E você saberá mais a seguir também!

Para que serve o alongamento?

O alongamento pode ser definido como um relaxamento muscular. É um tipo de exercício destinado a relaxar a musculatura de acordo com o movimento executado.

Apesar de ser realizado sempre pré treino, o alongamento em si é um exercício físico. O seu foco é deixar os músculos mais elásticos, permitindo uma série de movimentos sem limitações. De baixo impacto, a sua prática é indicada diariamente

Quando o corpo passa um tempo sem fazer alguns alongamentos perde a elasticidade com o tempo. Um bom exemplo são as crianças, as quais conseguem abrir escala e tocar as costas com a palma da mão sem sacrifícios. Com o avanço da idade e ausência de alongamentos o corpo perde uma parte da flexibilidade.

 

Os seis benefícios do alongamento para o corpo

Todos os atletas de auto rendimento conhecem e compreendem os benefícios do alongamento. Os seis principais são:

Evita lesões – o alongamento pré treino prepara o corpo para os demais movimento. Manda as coordenadas para a musculatura de que por ali vem exercício, fazendo cada músculo se preparar física e quimicamente para os exercícios seguintes.

Ajuda na amplitude dos movimentos – pessoas sem alongamento constante tendem a sentir dificuldades com alguns movimentos diferenciados. Um simples agachar em casa pode causar problemas e até dores quando não há alongamento constante.

Ajuda na recuperação pós treino – forçou muito na musculação ou no esporte? A melhor forma do corpo se recuperar é com um alongamento pós treino. Uma dedicação de cinco a 10 minutos de exercícios físicos com esta finalidade pode ser de grande ajuda.

Melhora a flexibilidade – e por que isso é bom? Para alguns esportes é crucial. Na corrida os movimentos das pernas mais amplos e sem dores são extremamente importantes para a velocidade e resistência nas distâncias. Na natação a amplitude da braçada pode tornar a velocidade ainda melhor, dentre outros esportes e benefícios.

Evita dores pós treino – treinos intensos de auto rendimento pedem uma preparação maior da musculatura. Com o alongamento a fadiga tende a ser menor, o que não quer dizer que o treino não vá render de igual forma.

Melhora a circulação sanguínea – movimentar músculos os quais não são muito usados no dia a dia ativa partes do corpo as quais vão precisar de mais sangue. Isso ajuda a circulação sanguínea.

 

Quantas vezes fazer alongamento por semana?

Por ser um exercício de baixo impacto a indicação dos especialistas é quanto mais melhor. O alongamento pode ser praticado todos os dias da semana e em qualquer horário do dia. A indicação é sempre que praticar algum exercício fazer um alongamento pós treino com o corpo ainda aquecido.

E uma dica mais importante ainda: respeite os limites. Nada de forçar demais. Com dor a flexão do músculo ou esticamento deve parar no mesmo instante.

SOBRE

O Promovida tem como objetivo promover um estilo de vida mais saudável, alinhado com a filosofia paleo-low carb de alimentação forte e baseada em alimentos naturais e o menos processados possível. Promover saúde é promover vida ❤